terça-feira, 25 de abril de 2017

Aroma de cravo


Quero deixar um miminho,
Não chega este aparelho,
Imaginem com carinho
Cheirar um cravo vermelho.

Internet não tem cheiro.
É falha, quase pecado!
Perdoa-se ao mundo inteiro
Se o cravo for encarnado.

Neste dia glorioso,
Quarenta e três anos atrás,
Tornou-se imperioso
Torná-lo símbolo da paz.

Porque um menino pequeno
O espetou numa espingarda
E um militar, sereno,
Soltou uma gargalhada.

O tempo passou e o cravo
Mantém-se fresco e viçoso
A sua cor grita “bravo!”
Singelo, puro e airoso.

Usem a imaginação
Pra lhe sentir o aroma
E abram bem o coração
Neste meio sem redoma.

De todas as flores de cheiro
O cravo cheira mais alto,
Chamemos o mundo inteiro,
Tomemos tudo de assalto!

Pela paz e harmonia
Ao mundo dêmos conselho
De cheirar com alegria
Um lindo cravo vermelho.

(Nota: excepcionalmente, estas quadras podem ser citadas, copiadas e partilhadas, no todo ou em parte, desde que identificada a fonte) 


domingo, 23 de abril de 2017

beijinho na fronte



Trabalhos complicados,
tempos desajustados,
cansaços exagerados.
São três da manhã
de um dia qualquer.
Foi sábado,
será domingo,
alguns descansam,
alguns se cansam,
outros amansam
a madrugada.
Joaninha voa,
sonha e balança
o que ainda falta.
Talvez seja nada,
se pela calada
desta madrugada,
vier alento novo,
consolo de povo
e de alma cansada,
num simples beijinho,
dado com carinho
na fronte alheada...

Pensamento #6


Somos tantos no mundo e tão poucos a ver que este mundo que temos precisa de muito mais amor, de muito menos opiniões, de muito menos "trepadores" (sociais, laborais e outros ais), de muito menos futilidades e de absolutamente nenhuma guerra, contenda ou guerrinha.
Nem sempre "da discussão nasce a luz", às vezes é preciso acendê-la.

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Magias


O canto encantado das sereias marinhas reflete-se em terra quando o sol se põe. Não se formos sós espreitar o horizonte, só se formos juntos nas asas do amor.
Assim que o sol se esconde destapa-se a magia do inicio da noite. Mas olhos sozinhos não chegam bem a ver tudo o que dois pares descobrem no mundo.
Ao cair da noite, bem devagarinho, espera-se pelo escuro que virá suave se nos encontrar com o nosso amor.
Noite já plena, de estrelas no céu, será mais brilhante se a lua vier. Sendo que a lua, amiga do céu, esteja ao nosso lado em forma de alguém.

sábado, 8 de abril de 2017

O gato preto da varanda azul



Na varanda azul da casa da frente mora um gato preto de olhos cintilantes. Molengão de dia, encarnação da preguiça, à noitinha desperta e visita a casa. Quando volta à varanda já é noite escura, mal se vê o gato, cintilam os olhos.
Numa noite destas ouvi-o miar. Fui à janela e falei com ele. Mas só lhe vi os olhos. Porque na casa da frente estava tudo escuro em plano de fundo. Não havia luzinha, vela ou sinal de vida. Só os olhos do gato, brilhantes e vivos, na varanda azul.
A casa tem mais varandas, brancas e floridas, de corrimão azul. Aquela é diferente, acompanha o tom da porta da garagem, não tem flores nem plantas e lá mora o gato.
É estranho ter um gato a viver na varanda...! Vejo-o ir lá dentro, sempre à noitinha, e depois voltar cintilando no escuro.
Há vidas estranhas, como a daquele gato, que está ali porque quer ou já teria fugido.
É fácil para um gato saltar da varanda. Há um estendal, uma árvore pequena, um arbusto envasado e muita agilidade... Mas ele continua lá. Até naquela noite em que ninguém estava em casa ele ficou na varanda e só miou um bocadinho.
Diz-se que gatos pretos trazem azar... Coitados dos gatos pretos!
Aquele traz-me a sorte de o poder admirar. Vejo-o viver... na sua varanda azul, diferente das outras. É só um gato preto mas é uma vida e há nela algo que o faz ficar...

quarta-feira, 5 de abril de 2017

pensamento #5

Ame-se a vida, o céu, as estrelas, o Sol e a Lua, amemos-nos todos, amemos até o amor! Em doses máximas, daquelas bem cheias de felicidade, alegria, ternura e tudo o que houver de melhor!
Mas nunca, jamais, em nenhum momento se ponham filtros de expectativas. Porque os crivos coam a felicidade, entopem-se com a alegria e não conseguem ser ternurentos com as coisas boas...